Portal Manhuamirim

Agronégocios

27/11/2019

Cafés especiais de produtores da região chamam a atenção de compradores internacionais

REDAÇÃO - Um grupo de compradores chineses visitou, na última semana, duas propriedades atendidas pelo Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) na região das Matas de Minas.

Eles estiveram no Sítio Três Barras, em Simonésia, do produtor Horácio Antônio de Moura, e no sítio Pinheiro Silvestre, em Vargem Grande, do casal Cleufa de Fátima e Gilerson de Jesus Silvestre. Os três são produtores de café especiais, que vêm ganhando destaque e premiações nos últimos anos.

 “Os chineses vieram para conhecer a propriedade, as lavouras, além dos processos produtivo e de pós-colheita do café. Dentre todos os detalhes e processos observados, o que mais chamou a atenção do grupo foi a forma como o produtor Horácio conduz o café no pós-colheita, principalmente em relação à higiene das estruturas e dos equipamentos usados nesse processo. Isso porque o quesito influencia no perfil sensorial do café, que é o que eles buscam”, explica Jorge Araújo Santos, técnico do ATeG que acompanha a propriedade de Horácio.

Sebastião Brinate, técnico do ATeG, atende o Sítio Pinheiro Silvestre. De acordo com ele, os produtos de alta qualidade, aliados à simplicidade e ao carisma típicos do povo mineiro, conquistaram o grupo, que também reconheceu a importância da atuação do Sistema Faemg.

 “Os compradores, que já tinham visitado outros países e regiões do estado, notaram certa diferença no que vem sendo produzido por aqui. Os próprios chineses sentiram o impacto do trabalho realizado pelo Senar nas regiões, uma observação muito interessante e satisfatória para nós. Eles ficaram encantados e fecharam um bom negócio com os produtores”, conta Sebastião.

Negócios na SIC

E não para por aí. Durante a sétima edição da Semana Internacional do Café (SIC), realizada nos últimos dias 20, 21 e 22 de novembro, em Belo Horizonte, os produtores Cleufa e Horácio fecharam mais negócios, dessa vez com compradores dos EUA e da Argentina. A procura tem aumentado, principalmente depois do evento, e eles estão muito felizes com o sucesso.

A SIC é uma das principais feiras de negócios na América Latina da cadeia produtiva do café, e uma das cinco mais importantes que ocorrem no mundo. A estimativa dos organizadores é que a SIC tenha viabilizado negócios que totalizam R$ 50 milhões, e envolvem insumos (máquinas, defensivos agrícolas, ferramentas) e atividades (torrefação, classificação de amostras, empacotamento e barismo), ou seja desde a lavoura até o balcão onde é servida a xícara de café, passando pelas prateleiras dos supermercados.

Reconhecimento

Não é de hoje que os cafeicultores têm chamado a atenção de compradores internacionais. Cleufa ficou em segundo lugar no cupping promovido pelo Senar Minas na Semana Internacional do Café, em Belo Horizonte, no ano passado. Seu café ficou entre os 100 melhores no Concurso Florada e agradou muito no cupping da IWCA e no Coffee of the Year.

O café especial produzido por Horácio também ganhou destaque em concursos recentes em Minas Gerais. Entre os prêmios, o cafeicultor também já garantiu o 1º lugar na categoria Cereja Descascado no Concurso de Qualidade dos Cafés da EMATER-MG - Regional Manhuaçu (acima de 84 pontos); 1º lugar na categoria Cereja Descascado nas Matas de Minas no Concurso de Qualidade do ATeG Café durante a SIC (90,14); e classificação no Coffee of the Year 2018.

Assessoria de Comunicação - Regional Viçosa