Portal Manhuamirim

Polícia

16/10/2019

Golpista liga para moradora de Manhuaçu, manda buscar o cartão de crédito e motoboy é preso

MANHUAÇU (MG) - Quando a gente pensa que já viu todos os tipos de golpes, os estelionatários inventam uma nova variação. A modalidade agora é mais ousada: uma pessoa busca o cartão na residência da vítima. Só que dessa vez, você vai ler uma história em que o golpe não deu certo.

Nesta segunda-feira, 14/10, a Polícia Militar, com apoio da Polícia Rodoviária Federal, conseguiu prender um homem, pois a mulher percebeu que estava sendo enganada.

O GOLPE

Essa primeira parte da notícia é para você entender a nova modalidade de golpe. Ela foi aplicada em 08 de agosto em Manhuaçu (25 mil reais de prejuízo) e em Manhumirim (16 mil). Na época, os bancos chegaram a divulgar um alerta sobre a forma como os golpistas estavam enganando clientes bancários.

Era segunda-feira, 15:30, dia de calor intenso no bairro São Jorge, em Manhuaçu. Uma professora de 73 anos recebeu uma ligação em sua casa. Do outro lado da linha, um homem se identificou como Paulo Augusto, funcionário do Banco do Brasil. Ele queria avisar que o cartão de crédito dela havia sido clonado, os autores teriam feito um saque no valor de R$ 500,00 e estavam usando para fazer compras nas lojas Americanas na cidade de Ouro Branco/MG.

Em seguida, mostrando-se muito prestativo, o suposto funcionário do banco solicitou os dados pessoais, a senha do cartão e posteriormente ditou uma declaração para a vítima redigir de próprio punho. Em seguida, pediu para que colocasse o cartão e a declaração em um envelope endereçando-o aos cuidados do Banco do Brasil, matriz Martins Soares/MG - Paulo Augusto. Nem todo mundo sabe, mas não existe agência do Banco do Brasil nessa cidade.

“Paulo Augusto” avisou então que um funcionário de nome Tiago Silva passaria em instantes para recolher o envelope. O detalhe: segundo o golpista, para ela ter certeza de quem receberia a encomenda, deveria perguntar a senha para o motoboy. Era 3535.

Antes de finalizar a ligação, o falso funcionário ainda forneceu o protocolo número 201900215441 e pediu para a vítima deixar o telefone fora do gancho. Na realidade, ele queria evitar que a mulher fizesse alguma verificação sobre o cartão.

A título de orientação é importante frisar que em alguns casos, o golpista determina “desligar o celular para evitar que o aplicativo do banco seja utilizado por quem clonou o cartão”. Enfim, tudo faz parte do golpe.

MOTOBOY

No entanto, não era o dia do caçador. A senhora ficou desconfiada e contou para o genro sobre a ligação. Ele ligou para o Banco do Brasil, cancelou o cartão imediatamente e percebeu que era um golpe.

Cerca de quinze minutos depois, não é que apareceu um motoboy na porta da casa da aposentada, gritando pelo nome dela e se identificando como “Tiago Silva, funcionário de Banco do Brasil”, solicitando o envelope com o cartão e a declaração.

A mulher pediu para que ele esperasse e acionou a Polícia Militar. O motoboy percebeu que havia sido descoberto e fugiu na motocicleta Honda CG150, cor cinza, placa MSV-3879.

Durante a fuga, o genro da vítima foi atrás. No mesmo intervalo, conseguiu acionar a equipe da Polícia Rodoviária Federal que estava no trevo de saída de Manhuaçu para Reduto. Os policiais rodoviários federais Kildare e Luís Tarcísio alcançaram o rapaz. “Tiago Silva” na realidade se chama Erick, tem 35 anos e é de Iúna (ES). A ocorrência foi finalizada pela PM.

O homem se enrolou várias vezes, ora relatando que era vendedor de granito, ora dizendo ser um motoboy que veio buscar uma encomenda em Manhuaçu. O celular dele tocou por diversas vezes, podendo ser um comparsa tentando entrar em contato. O aparelho e a motocicleta foram recolhidos.

O motoboy que não é funcionário do banco foi preso. O caso agora foi encaminhado para a Polícia Civil que poderá investigar detalhadamente o golpe.

Felizmente, dessa vez, era o dia da caça! A aposentada não se deixou enganar.

Carlos Henrique Cruz -  Redação do Portal Caparaó - carlos@portalcaparao.com.br