Portal Manhuamirim

Polícia

10/03/2019

Delegado colhe depoimentos no caso Jane Cherubim

DORES DO RIO PRETO (ES) - O delegado Dedier de Carvalho informou que não vai mais pedir a prisão do pai e do irmão de Jonas Amaral, 34. Eles eram suspeitos de terem modificado a cena do crime, onde o vendedor agrediu a namorada Jane Cherubim, 36, no início da semana, na localidade de Pedra Menina, interior de Dores do Rio Preto, na região do Caparaó.

"Ao meu ver essa mudança da cena do crime não foi intencional. O pai ficou perdido, atordoado, sozinho lá naquele local. Ele tinha que voltar, pelo que constatei. Ele conversou com uma pessoa para ele pegar o caminho na direção de Espera Feliz. Ele veio sozinho e encontrou a polícia no meio do caminho", revelou.

O pai, o irmão e um amigo do vendedor Jonas foram ouvidos na tarde de ontem na Delegacia Regional de Alegre, na região do Caparaó. Juscelino Humberto do Amaral, 58, Juscelino Humberto Amaral Filho, 24, e o amigo, que não teve o nome divulgado, foram ouvidos durante três horas.

De acordo com o delegado Dedier de Carvalho, os depoimentos batem com os da família de Jane. "Queria confrontar o depoimento do Cleiton - irmão de Jane – com os de hoje, ficou bem na linha”.

Pelos testemunhos, Cleiton procurou o pai de Jonas em sua casa, em Espera Feliz, Minas Gerais (onde vítima e agressor também moram), após não conseguir fazer contato com a irmã, Jane, na noite da agressão.

O delegado explicou que eles foram fazer buscas em dois veículos. Em um deles, estavam os irmãos de Jane, e eles foram pelo caminho do Espírito Santo na região. Já no outro, além de Juscelino, estava a cunhada da vendedora e um funcionário da choperia.

“Os irmão chegaram antes ao local do crime e encontraram a vítima primeiro e foram para o hospital”, contou o delegado.

Depois, o outro veículo chegou lá. Foi quando a cunhada de Jane e o funcionário foram buscar a polícia. Já Juscelino quis ficar na estrada, sozinho. Ficou atordoado, buscando o filho, e acabou encontrando a chave.

Decidiu ir para Espera Feliz com o carro do filho. “No caminho, encontrou com os policiais de Minas junto com o Cleiton indo até o local, e aí o veículo foi interceptado. E a polícia deu carona para ele até Espera Feliz, e o Cleiton retornou com o carro de Jonas até o local da agressão e deixou lá”, explicou.

O veículo foi retirado depois pelo irmão e um amigo de Jonas do local, com permissão da Polícia Militar, segundo o delegado.

Depois, o irmão e um grupo de amigos voltaram ao ponto do crime e fizeram buscas até 19h, sem encontrar Jonas.

As investigações continuam e  outras testemunhas devem ouvidas no decorrer da semana, mas o delegado não quis divulgar qual linha de investigação segue. Jonas continua foragido.

Os depoimentos da tarde deste sábado (10) foram acompanhados pelo advogado Osmar Aarestrup, que representa a família de Jonas. Ele disse que a família do vendedor acusado de espancar a namorada reside em Espera Feliz (MG) e está sofrendo perseguição pelos moradores do local, inclusive ameaças.

"A família dele está sendo massacrada pelas redes sociais e por muitas pessoas que não têm respeito pela família do Jonas. A família do agressor também passa pelas mesmas amarguras que passa a família da vítima. Além de estar sofrendo esse assédio, o filho do Jonas vem sofrendo bullying dentro da escola e nas redes sociais”.

Osmar também garantiu que Jonas está desaparecido. "Não sabemos se ele está morto ou vivo, ou se ele foi morto por alguém. Nós não temos resposta. Então, precisamos de toda ajuda do mundo para poder encontrar o Jonas. Nossa esperança de encontrá-lo vivo está se esvaindo. Inclusive, foram passados os IMEI's dos telefones da Jane e do Jonas, que estão desaparecidos para ver se a gente consegue saber o paradeiro do Jonas”, disse.

O advogado também disse que a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Espírito Santo entrou em contato para informar que vai auxiliar nas buscas por Jonas. “Disseram que enviarão oficiais do Corpo de Bombeiros com cães farejadores e a Polícia Militar para ver se a gente consegue, junto com o grupo, localizar Jonas dentro daquela mata”, disse.

Gazeta Online