Portal Manhuamirim

Geral

13/10/2018

Católicos celebram Nossa Senhora Aparecida em Lajinha

LAJINHA (MG) - Missas, celebrações especiais e procissões marcaram a comemoração do Dia de Nossa Senhora Aparecida em todas as comunidades da região. Em Lajinha, o Santuário no alto da Pedra da Baleia atraiu mais romeiros e fiéis de várias cidades para agradecer as bênçãos alcançadas por intercessão da Padroeira do Brasil.

A Paróquia Nossa Senhora de Nazareth realizou quatro missas no alto da montanha, no santuário de Nossa Senhora de Aparecida. Nos últimos dias, foram feitas melhorias no acesso que tem cerca de 2,5 quilômetros. No trajeto, painéis permitiam a contemplação dos mistérios da vida de Jesus. Já nas proximidades do santuário, uma representação dos três pescadores que encontraram a imagem em Aparecida (SP) há 301 anos.

Pessoas de várias localidades participaram ativamente das celebrações conduzidas pelos Padre Marcondes (Durandé) e Wagner (Lajinha). A fé e as forças emanadas de Nossa Senhora Aparecida contagiam e mobilizam fiéis em um dos maiores encontros de católicos na região que devotam a Nossa Senhora da Conceição Aparecida as bênçãos alcançadas.

A romaria teve início em Lajinha no ano 1978, liderada pelo Padre Augusto Marques de Morais Neto.

Na época, o proprietário Francisco Miguel Leite construiu a capela e doou o terreno em agradecimento por uma graça. O local se tornou o santuário de peregrinação dos católicos devotos Nossa Senhora Aparecida.

Caminhada de fé

Tão forte quanto as celebrações é a mobilização que a peregrinação até a Pedra da Baleia está provocando na região. Neste ano, o movimento de romeiros só aumentou.

Segundo Walter Luiz, pessoas de várias comunidades se deslocam em caminhadas que se iniciam na quinta-feira para chegar ao santuário no amanhecer do dia 12. “Foram 66 pessoas que vieram de Penha do Côco em Chalé. Eles saíram às 23 horas de quinta e chegaram 5 da manhã. De Professor Sperbert vieram 34 pessoas, de Ibatiba (ES) cerca de 20 romeiros, Durandé foram umas 80 pessoas pela MG-108 até Lajinha e também um grupo de Manhuaçu num ônibus e vários carros. Eles deixaram os veículos em Durandé e seguiram até o santuário, num grupo de 88 pessoas”.

Os integrantes do Grupo de Orações para Casais Ágape de Manhuaçu fazem a peregrianação há três anos. Foram seis horas e meia para percorrer os 29 quilômetros. Começaram com dezessete e agora já somam 88 participantes. “Momento de gratidão, percorremos essa distância sustentados pelas graças de Nossa Senhora (…), que estamos aqui hoje para agradecer”, conta.

Quem passou pelas rodovias e estradas rurais do entorno de Lajinha percebeu a grande movimentação. Formam-se grupos e utilizam de várias maneiras para sinalizar para os veículos. Enquanto andam lado a lado, outras formas de devoção são conhecidas, e esse contato também ensina sobre a fé.

Alguns caminhantes carregam na memória a devoção herdada dos pais ou avós. Não importa, o caminho se faz revelador. A companhia de Nossa Senhora é sentida de maneira significativa na caminhada até Lajinha e coroada com a alegria e gratidão na participação nas celebrações no alto da Pedra da Baleia.

Carlos Henrique Cruz - Fotos Walter Luiz