Portal Manhuamirim

Turismo

26/06/2018

Parque do Caparaó terá serviços privatizados

ALTO CAPARAÓ (MG) - O Parque Nacional do Caparaó, situado na divisa entre o Espírito Santo e Minas Gerais, está entre as sete unidades de conservação que terão suas atividades de visitação concedidas à iniciativa privada como forma de incentivo ao turismo. Entre os serviços que poderão ser explorados estão desde o transporte interno até acampamentos.

A concessão será discutida nesta sexta-feira, às 13h30 às 18 horas, com a população, em uma consulta pública no auditório do parque, na cidade de Alto Caparaó (MG). A ideia é apresentar o modelo do edital a ser desenvolvido pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), ligado ao Ministério do Meio Ambiente.

“O nosso patrimônio natural é valioso. Por isso, precisamos trazer oportunidades de visitação e de trabalho e renda às comunidades”, destaca o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte.

Visitação

Nos últimos cinco anos, o Caparaó saltou de 32 mil para 62 mil visitantes por ano. O plano estratégico desenvolvido pelo ICMBio prevê a concessão de uma área de 24 milhões de m² para a prestação dos seguintes serviços de apoio à visitação: controle de acesso, cobrança de ingressos, estacionamento, espaço de eventos, lanchonetes/cafeterias, lojas de souvenirs, acampamentos, locação de equipamentos, abrigos de montanha e cabanas temporárias.

A estimativa é o que prazo de concessão chegue a 20 anos e que o investimento total fique em torno de R$ 8 milhões. A expectativa do ministério é obter uma receita total de R$ 930 milhões com a concessão de sete parques: Chapada dos Veadeiros, Pau Brasil, Itatiaia, Lençóis Maranhenses, Jericoacoara e Serra da Bodoquena, além do Caparaó.