Portal Manhuamirim

Agronégocios

10/05/2018

Matas de Minas lança novos vídeos sobre cafeicultura regional

MANHUAÇU (MG) - O Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas apresentou mais 10 vídeos produzidos sobre a história de dez produtores da região. No total, são 27 vídeos produzidos ao longo dos últimos dois anos.

A apresentação foi realizada na sede do Sebrae Regional de Manhuaçu e contou com a presença dos dirigentes do Conselho, os responsáveis pela Nitro Imagens Bruno Magalhães Gustavo Nolasco e os produtores que contaram suas histórias de luta e paixão pela cafeicultura.

Na primeira parte, a técnica regional do Sebrae Ereni Emerick explicou a finalidade dos vídeos para destacar a identidade regional e as características do café produzido na região das Matas de Minas. O primeiro vídeo da série é o que apresenta a região. Os demais contam histórias produtores dos diversos municípios cafeicultores. “Cada um deles tem uma história importante para compreendermos essa cafeicultura sustentável, artesanal e familiar que é marca das Matas de Minas”.

A segunda parte foi a primeira exibição dos dez novos vídeos lançados pelo Conselho. A emoção estava estampada no rosto dos produtores.

Em seguida, o presidente do Conselho das Matas de Minas, Sebastião de Lourdes Lopes, agradeceu a cada produtor e explicou a finalidade dos materiais de divulgação, que incluem textos, fotografias e um site de referência.

“Os vídeos mostram a identidade da região, as características e os modelos de propriedades e, principalmente, a agricultura familiar, a simplicidade, a sucessão de geração em geração. Apresentam uma cafeicultura sustentável, um café de qualidade superior e com nuances bem específicas. É um trabalho que irá trazer grandes diferenças na divulgação da cafeicultura da região das Matas de Minas que envolve 63 municípios e mais de 36 mil produtores”, detalhou Sebastião de Lourdes Lopes.

O dirigente pontuou que um dos objetivos é tornar a marca conhecida internacionalmente, tanto que os materiais possuem versões em inglês. “O consumo de cafés especiais está no mercado externo, como Europa, Estados Unidos, por isso queremos tornar o café da região conhecido lá fora. Precisamos comunicar isso. O café especial daqui tem que ser reconhecido no mundo e também aqui no Brasil. Tudo isso é para agregar valor ao produtor e a essa cafeicultura familiar que temos na região”.

SELO DE RASTREABILIDADE

A divulgação é parte do projeto Café das Matas de Minas, lançado em 2010. Ao longo desse percurso, muito se trabalhou para garantir o reconhecimento da marca, identificar as características do café e outros aspectos ligados a governança, qualidade, produtividade e mercados.

Uma das conquistas recentes é a implantação do Selo de Rastreabilidade. Começaram a ser exportados os primeiros cafés selados e que garantem a qualquer consumidor o acesso a todas as informações sobre o produto que ele está adquirindo.

“Tudo isso está disponível numa plataforma do selo de rastreabilidade. O consumidor vai saber a origem do produto até os mínimos detalhes, conhecendo as características das Matas de Minas. Com o código do Selo de Rastreabilidade a pessoa, de qualquer lugar do mundo, tem acesso aos vídeos, história da fazenda, fotos, textos e a avaliação que o café recebeu”, pontuou Sebastião de Lourdes Lopes.