Portal Manhuamirim

Cultura

20/09/2017

Grupos de Folia de São Sebastião se reúnem em Mutum

Manhuaçu (MG) - O Grupo Folia do Divino, de Folia de Reis de Manhuaçu, participou no último domingo, 17/09, do 4º Encontro de Folias e Charolas de São Sebastião, promovido em Mutum.

Com o objetivo de manter vivas as tradições locais, criar um ambiente de intercâmbio cultural e impulsionar o resgate de grupos de charola a prefeitura de Mutum, com apoio da Secretaria de Estado de Cultura, promoveu a festa para celebrar o centenário da manifestação cultural na região.

A história das charolas na região de Mutum começou há 100 anos, quando uma epidemia assustou os habitantes provocando a morte de algumas crianças. Para acabar com a tragédia, um morador resolveu apelar às forças do divino. Fez uma promessa: caso ninguém mais fosse atingido pelo surto, ele organizaria uma charola em homenagem a São Sebastião. Pedido atendido, e assim nascia a charola de São Sebastião do Córrego da Ponte Alta, na cidade de Mutum.

Ao passar dos anos, o costume foi contaminando os moradores da região e passando de geração a geração. A história oral rendeu testemunhas, e uma delas é José Teixeira Soares. Foi seu avô, Modesto Teixeira de Siqueira, quem fez a promessa. Um século depois, José continua vivenciando a tradição iniciada pelo patriarca de sua família. Atualmente ele é o gerente de bandeira na charola criada pelo avô. “Sinto um orgulho imenso por fazer parte dessa história e muito agraciado com as bênçãos que São Sebastião nos deu”.

O misto de manifestação cultural e religiosa foi tema da festa na cidade. O já tradicional Encontro de Folias de São Sebastião, criado em 2014, teve a participação de dezenas de charolas.

O secretário de cultura de Mutum, César José, e o prefeito João Batista Marçal recepcionaram os visitantes. Um mapeamento realizado pelo Instituto do Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA), que constatou a presença de 319 charolas de São Sebastião no estado, incentivou ainda mais a ampliação das festividades neste ano. “Isso demonstrou a força dessa tradição. Queremos consolidar a festa no calendário de manifestações artísticas de Minas Gerais e do Brasil”, informa César.

As festividades tiveram início nas proximidades da capela de Nossa Senhora do Rosário, localizada na comunidade de Córrego da Ponte Alta e construída em 1920 com recursos arrecadados durante as peregrinações das charolas. Logo após a cerimônia de abertura, as charolas deslocaram pelas microrregiões levando a toada, os cantos e a bandeira em devoção a São Sebastião às casas dos moradores. No fim do dia, um cortejo e o coroamento foram realizados, cantando as músicas que compõem o repertório tradicional das charolas.

No dia 6 de janeiro deste ano as Folias de Minas foram reconhecidas como Patrimônio Imaterial do Estado pelo Conselho Estadual de Patrimônio de Minas Gerais (Conep).

MANHUAÇU

O Grupo de Manhuaçu teve apoio e presença do Diretor de Cultura Fabrício Santos, a Secretária de Cultura e Turismo, Gena Clara, representando a prefeita Cici Magalhães, coordenador de Turismo Udson Vicente Caldeira e a diretora de educação Dilma Rezende Lima.

São quinze componentes que participaram em Mutum: Antônio Dias de Jesus (mestre), Joaquim de Souza (submestre), Abílio Marques da Silva, Élcio de Paula Prazeres, Sebastião Cabral, David Henrique de Souza, Divina Maria

de Jesus Souza, João Gomes Ferreira, Raimundo de Paula Antunes, Gessi Luís de Assis, José Carlos Bahia, Ademir Rodrigues, Robson Borel Ferreira, Luiz Henrique Ferreira e Fabrício Souza Santos.

Redação Portal Manhumirim.