Portal Manhuamirim

Turismo

15/08/2017

Problemas no Parque Nacional motivam reunião na Câmara de Alto Caparaó

ALTO CAPARAÓ (MG) - O Parque Nacional do Caparaó é um dos principais pontos turísticos do país e tem o Pico da Bandeira como sua principal atração. O local recebe turistas durante todo o ano, principalmente no inverno, mas por trás do atrativo natural, a unidade de conservação passa por momentos difíceis com cortes no pessoal e redução orçamentária devido à crise financeira que atravessa o país, refletindo diretamente no fluxo de visitantes ao parque.

Preocupados com a situação e buscando ações para solucionar o problema antes que ele se agrave ainda mais, aconteceu na noite da última segunda-feira, 14/08, uma reunião na Câmara dos Vereadores de Alto Caparaó com a participação de Vereadores, Prefeito de Alto Caparaó José Gomes, empresários do ramo hoteleiro do município, comunidade, Brigadistas Voluntários do Grupamento de Espera Feliz, do Diretor da GRS/Manhumirim Ronaldo Lopes e do Presidenta da ADESC – Agência de Desenvolvimento Econômico e Social do Caparaó, André Farrath.

O vereador José Carlos Lovantino, autor da proposta, explicou que nos últimos anos o Parque Nacional do Caparaó tem promovido uma série de restrições dificultando a entrada de turistas para visitação e acampamento na Unidade de Conservação. “Com a redução de pessoal foi desativado o acampamento do terreirão e hoje a estrutura ali montada está sendo depredada, pois não tem vigia no local; o sistema de reserva é falho, com um atendimento precário deixando os turistas sem resposta quando à reserva e quando essa vem, já próximo à data da viagem, na grande maioria das vezes, ela é negativa. E isso afeta o comercio, pois muitas das vezes esse turista já reservou pousada, até mesmo com pagamento adiantado e o dono da hospedagem além de ter que cancelar a reserva tem que fazer a devolução do pagamento”, disse o Vereador.

O Prefeito José Gomes ressaltou a dificuldade em fazer parcerias com o ICMBio, Instituto mantenedor do Parque. Segundo ele, tudo que a prefeitura oferece para melhorias no Parque barra na burocracia. “Realmente é muito difícil trabalhar junto com o Instituto Chico Mendes, já oferecemos mão de obra e até mesmo maquinas para auxiliar nos trabalhos dentro do parque e a resposta que temos é que não pode, ora porque Belo Horizonte não aprovou ou porque tem de mandar pra Brasília para depois autorizar e fica nesse jogo de empurra, empurra e o nosso Parque se acabando”, frisou o Prefeito.

A mesma colocação foi feita pelo setor hoteleiro, Carlos Aristósteles Bezerra, empresário do ramo e Conselheiro do Parque foi taxativo. “O ICMBio fechou as portas para as parcerias. Estamos dispostos a ajudar a resolver os problemas do Parque, mas eles não nos ouvem”, comenta.

Para o Diretor da GRS/Manhumirim, Ronaldo Lopes é hora de unir as forças e levar às autoridades o que está acontecendo com o Parque Nacional do Caparaó. “Fui presidente do Circuito Turístico Pico da Bandeira e sei da importância que este parque representa para a região. Então vamos nos unir e levar às autoridades, onde seja, as nossas reivindicações e cobrar uma solução para o problema” disse.

André Farrath, presidente da ADESC, destacou o potencial turístico da região. Segundo ele, o número de turistas que visitariam o Caparaó poderia ser bem maior se fossem realizadas melhorias no atendimento do Parque. “A região do Caparaó tem um atrativo muito forte para o turismo, seja ele de agronegócio, com as feiras, eventos e agora se destacando também as visitas às fazendas de café, o turismo ecológico com as RPPNs que abrigam uma fauna e um flora única na região e o turismo de aventura que tem como carro chefe a escalada ao Pico da Bandeira e as cachoeiras do Parque Nacional e seu entorno, com capacidade de receber muito mais turistas do que apenas os 55 mil como registrado no ano passado, mas para precisamos estar preparados para receber estas pessoas e da forma que está hoje a tendência destes números é diminuir, a pessoa tenta uma vez e não consegue, tenta duas e não consegue e na terceira ele já chama o amigo para procurar outra rota e assim vamos perdendo nossos turistas e nossas divisas”, explica André Farrath.

Após os pronunciamentos foi elaborado um documento que será entregue às autoridades do ICMBio em Brasília (DF). “A reunião de hoje é um exemplo claro da nossa preocupação com a população e o desenvolvimento da nossa região. O vereador Lovantino está de parabéns pela inciativa, que abraçada por todos os colegas do Legislativo, empresários, pelo Prefeito José Gomes, comunidade e autoridades de toda a região. Isso demonstra a importância do Parque Nacional do Caparaó e do Pico da Bandeira para todos nós. Agendamos uma nova reunião em setembro, onde iremos entregar o documento elaborado hoje às autoridades. A Câmara dos Vereadores estará sempre de portas abertas a todos que dela precisar”, finaliza o Presidente da Câmara de Alto Caparaó Vereador Rodrigo França Peixoto.

Uma nova reunião ficou para marcada para o dia 17 de setembro no Instituto Chico Mendes, em Brasília.

Jailton Pereira - jailton@portalcaparao.com.br