Portal Manhuamirim

Educação

04/11/2016

Professora compartilha esquema para redação do Enem e viraliza na internet

CARANGOLA (MG) - Na reta final para as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2016, a professora de redação Tarsila Baylão, 27, resolveu usar as redes sociais para ajudar os candidatos do exame. Ela compartilhou um esquema gráfico no Facebook explicando a redação do Enem. O que ela não esperava era o sucesso da postagem. "Começaram a me ligar contando: 9.000, depois 20 mil, em seguida, 50 mil compartilhamentos. Um monte de gente começou a entrar em contato". O post conta, até agora, com mais de 90 mil compartilhamentos.

Nesta reta final, com a proximidade do exame, os candidatos procuram estudar não só pelos livros, mas também por vídeos e em páginas especializadas. A ideia da postagem partiu dos próprios alunos de Tarsila. "Eles comentaram que tinham dificuldade em assistir a aulas em vídeo, porque acabavam se desconcentrando. Pediram para eu compartilhar o resumo e aí foi um sucesso", explica. Em menos de uma semana, o post viralizou.

"Recebi muitas mensagens. Pessoas pedindo para eu corrigir redação, gente que eu não conheço falando que os cartões tinham ajudado nos estudos." Ela diz que não consegue mais dar conta de responder a todos os comentários, que passam de 17 mil.

Por isso resolveu criar a página Rabiscos da Aula (https://www.facebook.com/rabiscosdaaula/), na qual pretende compartilhar esquemas gráficos com dicas de português e redação. A página já tem mais de 7.000 curtidas. "Eu vi que isso faz diferença para muitas pessoas. A minha ideia é espalhar conhecimento, eu acho que a missão do professor é esta."

Professora há dez anos em Carangola, em Minas Gerais, Tarsila conta que seus esquemas sempre fizeram sucesso. "Na faculdade, eu fazia uma série de resumos e emprestava para todo mundo tirar cópia", brinca.

Seu gosto por tipografias e ilustrações vem desde a adolescência. "Eu queria cursar design. Como na minha cidade não tinha outras opções de faculdade, além de licenciatura em letras, eu acabei fazendo", explica.

Ao entrar no curso de letras, ela não só gostou como também viu uma maneira de aliar seu interesse por esquemas gráficos com as aulas. "Sempre busquei métodos diferentes na hora de ensinar: projetos, resumos diferenciados, que me ajudavam tanto a estudar, como a transmitir isso para os meus alunos."

Aulas grátis

Depois do sucesso de seu post, Tarsila quer agora levar seus ensinamentos a mais pessoas. Professora da rede particular, ela conseguiu um espaço em sua cidade para atender alunos da rede pública, que desejam se preparar para o Enem.

 

"A mesma aula que dei na rede particular, levei para a rede pública gratuitamente. Vou ajudá-los com redação e interpretação de texto", explica. A primeira aula aconteceu já na terça-feira (1º) e teve quatro horas de duração

"Acho que todos os alunos devem ter essa mesma oportunidade, não importa a sua origem. Fico muito decepcionada ao ver colegas de profissão que diferenciam os alunos das redes particular e pública."

Dicas

Na véspera do Enem, quais são as dicas de ouro da professora Tarsila para se dar bem na prova de redação? "O estudante precisa estar conectado com a atualidade, aquilo que está acontecendo no Brasil. Se estiver por dentro, ele consegue desenvolver melhor o texto", explica. Por isso, fique de olho em revistas, jornais e notícias da internet.

Além disso, a professora também chama a atenção para a coesão do texto. "O aluno deve conseguir argumentar com precisão. E mais: tem de fazer com que a redação dele tenha uma progressão, com os parágrafos bem conectados até chegar à conclusão final."

Por fim, Tarsila lembra a proposta de intervenção, item obrigatório, que deve apresentar uma maneira de combater o problema exposto pelo tema da redação. "É necessário detalhar a proposta, sem ser genérico. O que tem de ser feito? Por quem? Diga quem será o responsável por combater o problema, qual ministério do governo, por exemplo. Particularize o máximo que você puder, não seja vago", conclui.

Hugo Araújo / Colaboração para o UOL, em São Paulo