Portal Manhuamirim

Agronégocios

27/09/2016

Missão leva produtores para a Semana Internacional do Café

BELO HORIZONTE (MG) - O Sebrae Minas levou cinco missões técnicas da microrregião de Manhuaçu para participar da quarta edição da Semana Internacional do Café (SIC) 2016, de 21 a 23 de setembro, no Expominas, em Belo Horizonte. Foram 170 produtores dos 63 municípios que integram o projeto Café das Matas de Minas, realizado pelo Sebrae Minas desde 2011 e que tem como objetivo o desenvolvimento da cafeicultura na região das Matas de Minas.

A SIC 2016 teve uma ampla programação de encontros, seminários, concursos, sessões de cupping & negócios, divididos em três eixos temáticos: Mercado & Consumo, Conhecimento & Inovação e Negócios & Empreendedorismo. O evento foi promovido pelo Sebrae, Sistema Faemg, Café Editora e Governo de Minas.

O projeto Café das Matas de Minas é baseado em quatro pilares: qualidade, identidade, governança e mercado, o projeto busca valorizar o café dessas localidades, organizar as ações dos produtores e abrir mercados. Todas as atividades contam com a parceria do Conselho das Entidades do Café das Matas de Minas.

Segundo a analista do Sebrae Minas em Manhuaçu, Ereni Emerick, o projeto abrange ações de capacitação e orientação ao produtor sobre o processo de melhoria da qualidade, governança e identidade. Por meio do programa Redes de Referências, uma equipe de profissionais capacitados pelo Sebrae leva orientação a cafeicultores interessados na produção de café de qualidade, que atenda a indicadores superiores a 80 pontos. “Atualmente, contamos com 178 produtores no grupo e a nossa meta para este ano é a inclusão de mais 300”, destaca Ereni.

Café premiado

A cafeicultura é uma das principais fontes de renda na região das Matas de Minas. Em 275 mil hectares plantados, trabalham 36 mil produtores. Eles geram cerca de 75 mil empregos diretos e 156 mil empregos indiretos - na colheita do café. 

Nos últimos concursos regionais, estaduais e nacionais, a região obteve diversas conquistas e premiações. No Brazil Specialty Coffee Association (BSA), em 2000, foram dois finalistas; no prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café para Espresso, 20 finalistas; No último concurso realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), em parceria com o projeto Matas de Minas, foram 107 finalistas, sendo 67 da região das Matas de Minas. Em 2015, a região teve dois produtores campeões nas categorias Cereja Descascado e Natural.

Região das Matas de Minas

A marca Região das Matas de Minas congrega cerca de 36 mil produtores de café. Distribuídos por 63 municípios, eles são responsáveis pela produção de cinco milhões de sacas anuais, o que significa 24% do total em Minas Gerais.

A região configura uma extensão de terras contínuas da Zona da Mata e Vale do Rio Doce, no Leste mineiro, emolduradas pela Mata Atlântica, com altitudes entre 600m e 1.200m, clima e solo propícios à cultura do café de qualidade. A produção é naturalmente artesanal, com predominância de agricultura familiar no chamado "cultivo de montanha".

O grão das Matas de Minas é bem encorpado, com sabor adocicado variando entre o cítrico, o caramelado e o achocolatado. O aroma é intenso, com notas florais e a acidez é delicada e equilibrada.

Minas do café

Os números da SIC exemplificam a posição de Minas como o maior estado cafeeiro do Brasil. Líder nacional, responsável por 51% da safra nacional, Minas Gerais, se fosse um país, seria o maior produtor mundial do grão. Aqui é colhida uma média anual de 25 milhões de sacas, oriundas de lavouras distribuídas em 1,1 milhão de hectares, em mais de 600 municípios. A produção de café representa cerca de 6% do PIB mineiro.

O Sebrae Minas desenvolve projetos para capacitar produtores, apoiar a certificação de origem e a comercialização por qualidade. São quatro as regiões em que a instituição atua: o Sul de Minas (Região da Mantiqueira) que detém 47% da produção, Matas de Minas (Leste e Zona da Mata), com 30,7%, Cerrado Mineiro (Triângulo, Noroeste e Alto Paranaíba, Noroeste e Triângulo),19%, e Chapada de Minas (Vale do Jequitinhonha), 3,3%.